Doença de Stargardt é considerada uma degeneração de mácula juvenil congênita.

Na retina encontram-se dois tipos diferentes de células. Os cones são células fotorreceptoras que se concentram mais na parte central da retina – a mácula – e são responsáveis pela visão de detalhes, pela leitura e pela identificação das cores. Os cones são mais afetados neste tipo de degeneração. Os bastonetes são células especializadas em perceber movimentos e atuar quando há baixa luminosidade. Encontram-se em maior concentração na periferia da retina e normalmente são preservadas no caso de Stargardt.

Na Terapia Visual, Monique Intrator visa trazer mais estímulos para as células da retina através de exercícios específicos, integrando, em seguida, à visão como um todo, melhorando assim a função visual. Diminuição do estresse, estímulo à visão espacial e à binocularidade, sempre que possível, fazem parte da proposta da Terapia para Stargardt.