É considerada Baixa Visão quando há uma grande perda visual mas com alguma funcionalidade preservada.

 

Isso significa que aqueles que possuem visão subnormal vêem as pessoas mas, às vezes, não as reconhecem. Têm dificuldade de ler o número do ônibus, os letreiros na rua, de perceber poças d’água e degraus, mas ainda assim podem ser capazes de ler.

 

Bebês podem ter baixa visão assim como crianças e adultos. Os bebês têm o cérebro como uma esponja, absorvendo qualquer aprendizado que é oferecido. Como o cérebro está em formação,  irá receber os estímulos e integrá-los naturalmente. Por isso, vale a pena começar cedo a Terapia Visual com exercícios específicos, que podem variar entre estímulos com luzes, formas, cores, movimentos e muito mais. Identificar a resposta visual do bebê e oferecer novos desafios faz parte da sessão com a Terapeuta Visual Monique Intrator. Transmitir aos pais e organizar uma rotina de exercícios em casa também faz parte deste programa.

 

Em adultos com visão subnormal, a Terapeuta Visual Monique Intrator  trabalha com exercícios específicos sabendo que a neuroplasticidade do cérebro  é capaz de receber o estímulo novo, recrutar neurônios para desenvolver essa ação, modificar uma situação existente e readaptar-se. Esses exercícios buscam recrutar novas células e estabelecer novas vias neurais potencializando e organizando a visão como um todo.